Buscar

Anápolis vai abrigar o maior centro de centro de distribuição de mercadorias da América Latina

Governador Ronaldo Caiado, presidente dos Correios, Floriano Peixoto Vieira Neto, vice-governador Lincoln Tejota e titular da Secretaria-Geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima exibem protocolo de intenções para instalação de uma agência empresarial dos Correios no Distrito Agroindustrial de Anápolis


Por Altair Tavares

11/05/2021



Na última sexta-feira (7) foi formalizada a assinatura do protocolo de intenções entre o Governo de Goiás e os Correios para a instalação de uma agência empresarial no Distrito Agroindustrial (Daia) em Anápolis, cidade que vai abrigar o maior polo logístico da América Latina. A Agência Empresarial deve ficar pronta para ser inaugurada nos próximos 60 dias.


A ação, coordenada pela Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), marca a transferência do centro de distribuição e terminal de cargas dos Correios, atualmente sediados em Brasília, para Anápolis. O projeto de transferência conta com quatro etapas e tem como primeira fase a implantação da Agência Empresarial do Correios, um diferencial competitivo para a região, que poderá contar com mais agilidade na aquisição e remessa de mercadorias para todo o Brasil e outras partes do mundo.


Durante a solenidade de assinatura do protocolo de intenções, o governador Ronaldo Caiado destacou a importância da unidade. “Os Correios são uma empresa referência em qualidade e metodologia, capaz de assumir diversos desafios com competência. A estrutura prevista para Anápolis, que inclui também o oferecimento de serviço de consultoria para e-commerce, converge com nossos planos para a região, que é o incremento de seu potencial logístico”, disse.


“Goiás está diretamente ligado ao avanço e futuro do Brasil”, ressaltou o vice-governador Lincoln Tejota. Segundo ele, o Estado já recebeu intenções de grandes empresas de logísticas mundiais para operar centros de distribuição a partir de Goiás.


De acordo com o presidente dos Correios, Floriano Peixoto Vieira Neto, as tratativas para a migração de seu centro de distribuição e o terminal de cargas estão bastante avançadas. Ele também explicou que a necessidade de expandir os centros internacionais da empresa, hoje presentes no Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, colocam Anápolis como local ideal para a formatação desse novo complexo, “muito maior do que os já existentes”.


“Pretendemos oferecer um hall muito grande de serviços na região, que engloba o gerenciamento de armazenamento de itens, como medicamentos. Nossa intenção é dinamizar a área logística local, conferindo com isso ganhos para todo o país”, ressaltou.


O titular da SGG, Adriano da Rocha Lima, ressaltou a importância da posição central de Anápolis, aliada à confluência de modais logísticos que cortam o município (ferrovias, rodovias, tráfego aéreo e porto seco) para transformá-la em um hub (ponto central para coleta, separação e distribuição de mercadorias para uma área ou região específica, garantindo mais agilidade e otimização dos custos) logístico.

“Essa centralidade junto à infraestrutura pré-existente em Anápolis nos permite visualizar a sua transformação na Memphis brasileira. A cidade norte-americana é o centro logístico dos Estados Unidos devido à sua posição centralizada, como a de Anápolis”, explica.


O secretário destaca, ainda, que a característica desses superhubs logísticos é matemática, ou seja, é mais fácil centralizar a distribuição de materiais ao trazê-los todos para um ponto equidistante dos demais, como o centro, para depois distribuí-los de forma mais ágil. “Ao investirmos no incremento logístico regional contemplamos todo o país que ganha em qualidade no custo operacional, na inteligência para fazer a mercadoria circular. Ou seja, contribuímos para o desenvolvimento de toda a economia”, avalia.


“Além de sermos o coração do Brasil, com toda essa capacidade logística e no que diz respeito a universidades e mão de obra qualificada, maior polo farmoquímico, temos ali um povo ‘danado’, especial”, destacou o prefeito de Anápolis, Roberto Naves.


Estrutura


A Agência dos Correios do Daia atenderá a toda a região, com foco em pessoa jurídica, já que possuirá estrutura especializada para esse perfil de clientes. A previsão é de que a unidade, de 1.100 m², seja inaugurada nos próximos meses, contando com amplo estacionamento e área para carga e descarga de encomendas.


O serviço de coleta para clientes situados no eixo Goiânia-Anápolis será um diferencial da agência. Ao integrar o Polo Logístico de Goiás, a unidade garantirá tratamento especializado, mais celeridade e, também, redução nos custos para clientes.