Buscar

Concessionárias usam aplicativos para melhorar tráfego

Operadoras de rodovias têm investido na modernização tecnológica para conectar câmeras, pedágios, sensores e painéis de mensagens


Fonte: Valor Econômico

29/07/2022


Foto: iStock


As operadoras de rodovias têm investido na modernização tecnológica, com infraestrutura de fibra óptica para conectar dispositivos de controle, como câmeras, pedágios, sensores de análise de tráfego ou clima, painéis de mensagens. Mais recentemente iniciaram alguns projetos-piloto para melhorar a interação com os usuários por meio de aplicativos.


A Ecopistas, que opera as rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto (SP), testou um serviço por meio do WhatsApp para interagir com o usuário. Nos três meses de uso da ferramenta - para informar condições de tráfego e atender os que precisam de socorro mecânico ou outra assistência - registrou uma queda de 53% nas chamadas pelo telefone de emergência. O serviço será disponibilizado para outras empresas do grupo Ecorodovias.


As rodovias do Estado de São Paulo têm boa cobertura com tecnologia 4G, situação que não se estende a outras rodovias do país. Para levar o serviço de comunicação com o usuário para a Ecovias Araguaia, um dos ativos recentes do grupo Ecorodovias, entre Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO), a empresa está firmando uma parceria com uma operadora para garantir 100% de iluminação na Ecovias do Araguaia, que compreende 851 km da BR-153, BR-080 e BR-414, nos Estados de Goiás e Tocantins, uma das principais ligações entre o Meio-Norte e o Centro-Sul do país.


O diretor de tecnologia corporativa na Ecorodovias, Afrânio Spolador, enfatiza que, além da cobertura, o acordo prevê a não cobrança de roaming das demais operadoras. “Os usuários poderão acessar o aplicativo a partir da web e fazer ligações gratuitas para o 0800 ou qualquer telefone de emergência pelo app, de qualquer ponto da rodovia”, informa.


Outra operadora que está fazendo um piloto e planeja usar inteligência artificial e recursos da machine learning para melhorar a interatividade com o usuário é a Arteris. Com 3.200 km de concessão de rodovias - cinco delas federais e duas estaduais - têm fibra óptica instalada em todas para conectar os dispositivos de monitoramento de tráfego, radares, cobrança de pedágio, entre outros serviços.


Essa infraestrutura é uma parceria com o Waze que permite levar informações para os dispositivos móveis dos motoristas conectados à plataforma nas rodovias operadas pela Arteris. A empresa fornece as informações de forma eletrônica e o Waze pública. Mais recentemente, ela iniciou um piloto em um trecho da rodovia Régis Bittencourt (entre as cidades de São Paulo (SP) e Curitiba (PR), com o Watson, a plataforma de serviços cognitivos da IBM. A plataforma está sendo alimentada com imagens de streaming das câmeras para identificar eventos, como um veículo no estacionamento ou na contramão, ou animal na pista.


“O número de câmeras em rodovias é alto e gera um grande volume de informações. As tecnologias de IA e machine learning vão ajudar a processar os dados para que possamos atuar preventivamente, tomando decisões para prevenir acidentes, por exemplo”, explica Luiz Eduardo Ritzmann, superintendente de tecnologia e transformação da Arteris.


A Eixo-SP, responsável pela administração de 12 rodovias no interior paulista, totalizando 1.200 km em extensão, investiu R$ 130 milhões em uma rede de sistema inteligente de tráfego que passa por 62 municípios, entre Rio Claro, na região central do estado de São Paulo, até Panorama, na divisa com o Mato Grosso do Sul. Os cabos de fibra óptica percorrem toda a extensão das rodovias e conectam a rede WiFi (gratuita para os serviços da concessionária) e os dispositivos (sensores, câmeras com IA, painéis).