Buscar

Desde 2015, Governo já investiu R$ 4,6 bilhões em infraestrutura

O planejamento segue com agenda de obras até o final de 2022


Por EnfoqueMS

26/02/2021

Levantamento apresentado pelo Governo do Estado, demonstra que foram investidos R$ 4,6 bilhões em infraestrutura desde 2015, na manutenção e pavimentação de rodovias, obras em vias públicas, saneamento básico e construção de pontes de concreto. O planejamento é continuar com agendas (obras) até o final de 2022.


Esta política de obras e investimentos no setor visa melhorar a logística, escoamento da produção, tráfego dos veículos e qualidade de vida da população, ao melhorar as vias nas cidades e ainda ampliar o tratamento de água e esgoto, que contribui com a saúde pública dos cidadãos.


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) destaca que quanto mais obras de infraestrutura, mais o Estado vai se desenvolver e fortalecer sua economia. Por esta razão realizou o programa “Governo Presente”, onde ouviu as demandas dos 79 municípios e assim definiu seu pacote de investimentos no valor de R$ 4,2 bilhões até o final de 2022.


“É gratificante para nosso governo realizar obras que atendem diretamente o cidadão sul-mato-grossense, levando infraestrutura e encurtando distâncias entre os polos de produção, potencializando, assim, o agronegócio, atraindo novos investidores e contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do Estado”, destacou o governador.


Rodovias


Os investimentos em manutenção de rodovias não pavimentadas e de pontes de madeira chegam a R$ 1,3 bilhão em seis anos e dois meses de mandato. Durante este período foram feitos 6 mil quilômetros de rodovias cascalhadas e 777 km de estradas implantadas e pavimentadas no Estado. Esta implantação equivale a distância de Campo Grande à Assunção no Paraguai.


Estes investimentos seguem a todo vapor, tanto que o governador em janeiro deste ano lançou mais 11 obras de pavimentação e restauração de 296 km de rodovias estaduais, com custo de R$ 376,9 milhões, para atender diferentes regiões do Estado e assim contribuir com a produção agroindustrial, turismo, escoamento e tráfego local.


Este último pacote de obras incluiu rodovias estaduais importantes, como MS-382, MS-166, MS-278, MS-156, MS-162, MS-447, MS-425, MS-450 e MS-352, que passam por municípios como Terenos, Dourados, Caarapó, Fátima do Sul, Maracaju, Dois Irmãos do Buriti, Guia Lopes da Laguna, Bonito e Sidrolândia.


A expectativa do governo é entregar até o final do segundo mandato R$ 2 bilhões em investimento para infraestrutura urbana e rural, que corresponde a 2.200 quilômetros de estradas para recapeamento e pavimentação. Para executar estes projetos são usados recursos próprios e advindos do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul).


O governador destacou que o objetivo é “encurtar” os caminhos e fazer as ligações entre os municípios e polos econômicos do Estado, para alavancar a economia local, com geração de empregos e renda à população. “Para termos capacidade para investir fizemos nosso dever de casa, com medidas duras e muitas vezes amargas, mas sempre pensando em melhorar a vida da população”.


Pontes de concreto


Uma das prioridades da atual gestão, a construção de pontes de concreto foi descrita pelo governador como essencial para melhorar o acesso a diferentes cidades e assim ajudar de forma efetiva o escoamento da produção. Desde o primeiro mandato já são 96 pontes (concreto) construídas, 18 continuam em execução e 12 já estão em fase de licitação.


O investimento em implantação, restauração e construção das pontes de concreto chegam a R$ 1,8 bilhão. Estes empreendimentos ajudam principalmente nas épocas de chuva no Estado, em que os níveis dos rios ultrapassam a cota de emergência nas regiões mais baixas, o que torna estas obras vitais à população.


Quase 50 municípios do Estado já receberam novas pontes de concreto ou estão com os projetos em andamento, em diferentes regiões. A expectativa é que sejam entregues 163 (pontes) até o final de 2022. No primeiro mandato (2015 a 2018) foram construídas 100 estruturas e são esperadas mais 63 ficarem prontas na atual gestão.


Estas ações são feitas por meio do programa “Mais Pontes”, que visam garantir segurança ao tráfego nos locais e aumentar o tempo de duração da estrutura. Com a troca (ponte de madeira por concreto) ainda se gasta menos com manutenção.


O secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, destacou que mesmo em tempos de crise, o governo de Mato Grosso do Sul continuou investindo em obras, atendendo as demandas dos municípios e melhorando a qualidade de vida da população. “Desde o começo da gestão o governo se mostrou municipalista e trabalhando para ter capacidade de investir. Vamos continuar trabalhando para recuperar nossa economia e fortalecer a geração de emprego”.


Obras urbanas e saneamento


Outra área prioritária do governo foi investir em saneamento básico, para ampliar o tratamento de água e esgoto para população. O governador destaca que as obras neste setor melhoram a qualidade de vida, pois se trata de investimentos que refletem diretamente na saúde pública.


A administração estadual investe R$ 1 bilhão nos 79 municípios desde 2015, somando o aporte com saneamento e as obras de infraestrutura urbana nas cidades. O governo também apostou em uma Parceria Público-Privada (PPP) do esgotamento sanitário, que foi sacramentado no começo de fevereiro.


Para isto haverá o aporte financeiro de R$ 3,8 bilhões da iniciativa privada, por meio da empresa Ambiental MS Pantanal, que vai administrar o serviço durante 30 anos, tendo como objetivo universalizar o tratamento de esgoto em 68 cidades, até 2031.


“Isso representa um ganho extraordinário para o meio ambiente e a qualidade de vida de 1,7 milhão de sul-mato-grossenses. Com a PPP da Sanesul vamos abreviar tempo e antecipar investimentos que demoraríamos muitos anos para se concretizar”, ressaltou o governador.


Outra demanda desde o primeiro mandato foram as obras civis no Estado, que tiveram o investimento de R$ 394 milhões. “Temos que dar sequência às nossas ações de desenvolvimento, com toda a cautela e responsabilidade. Estamos mantendo uma agenda de obras essenciais em todas regiões, para melhoria da infraestrutura destes municípios”, descreveu Riedel.