Buscar

Dia dos Pais faz crescer otimismo no comércio da capital federal

Comércio vive expectativa de arrecadar R$ 150 milhões a mais do que em 2020, quando as vendas atingiram R$ 60 milhões


Por Correio Braziliense

02/08/2021



O Dia dos Pais, comemorado neste ano em 8 de agosto, promete ser movimentado. A expectativa do comércio do Distrito Federal é de que a data renda R$ 210 milhões em vendas. Em 2020, o Dia dos Pais foi a primeira celebração em que estabelecimentos comerciais da capital federal puderam funcionar; as receitas alcançaram R$ 60 milhões. Mesmo com o otimismo do setor, o faturamento previsto para 2021 é inferior ao que foi percebido em 2019, quando o Dia dos Pais rendeu R$ 250 milhões à economia local. Os números são do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista), que reúne 30 mil lojas de rua e de shoppings em todo o DF.


No termômetro dos lojistas, o otimismo é moderado. Entre eles, 62,5% acreditam que as vendas serão iguais as do ano passado, e 37,5% preveem aumento nos resultados. Em relação à forma de pagamento, 96% dos produtos devem ser quitados por meio de cartões de crédito.


Para José Aparecido Freire, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), os índices de vendas de antes da pandemia serão atingidos ao longo do restante deste ano. “Os números de 2019, com certeza, são um pouco melhores do que os de 2021. Em todas as retomadas, o comércio tem crescido, mas ainda não conseguimos atingir os resultados de antes da pandemia. A expectativa é de que, neste Natal, com o avanço da vacinação e com os bons números de crescimento do primeiro semestre, consigamos chegar, se não igual, bem próximo às vendas de fim do ano de 2019”, avalia.


Uma pesquisa do Instituto Fecomércio mostrou que os números de vendas no Dia das Mães e Dia dos Namorados deste ano superaram as expectativas dos lojistas. Em maio, o setor registrou aumento de 22,5% nas movimentações em comparação a 2020. Em junho, os negócios tiveram acréscimo de 18,49% em relação ao mesmo período do ano passado.


O presidente da Fecomércio acredita que o resultado do Dia dos Pais também vai superar o obtido em 2020. “No ano passado, estávamos começando a reabertura dos comércios e havia muitas incertezas, com decretos frequentes de abre e fecha. Então, o problema era maior. Com o avanço da vacinação e as pessoas circulando com mais confiança, acreditamos que a retomada econômica no segundo semestre será muito boa, inclusive em relação à criação de empregos, que é o que mais estamos precisando no DF”, completa José Aparecido.


Resultados


Edson de Castro, presidente do Sindivarejista, também crê que as vendas serão melhores do que em 2020 — inclusive com perspectivas de superar o cenário de 2019. “No ano passado, o comércio não estava funcionando direito. Neste ano, esperamos um crescimento muito grande nas vendas. Os lojistas investiram e compraram mercadorias, o que ajuda a retomar a vida do comércio. Os resultados de 2021 podem ser entre 4% a 5% melhores do que os de 2019. Temos observado que as pessoas estão otimistas e isso tranquiliza. Os produtos que mais são vendidos no Dia dos Pais são chinelos, pijamas, gravatas e vinhos”, observa.


O momento não poderia ser melhor para Marcos Paulo Soares Santos, dono da loja de vinhos Más Vinos, na Asa Sul, que aproveita a boa safra do consumo de vinhos para aumentar o fluxo na loja. “A expectativa é de que as vendas sejam melhores do que as do ano passado, quando o movimento foi muito bom, melhor do que em 2019. O consumo de vinho subiu bastante durante a pandemia”, anima-se.


Quanto aos métodos alternativos de venda por conta da emergência sanitária, o comerciante acredita que o delivery será mais requisitado neste ano do que em 2020 — mesmo com a possibilidade de maior circulação de clientes que a vacinação contra a covid-19, apesar da pouca abrangência, trouxe. “O pessoal gosta da comodidade de receber o vinho em casa. O Dia dos Pais costuma ser uma boa data para a loja. Vinho é um presente que agrada todo mundo”, complementa o empresário.


Os lojistas de shoppings também estão animados com as vendas para a data, e a expectativa é a mesma dos colegas com comércio nas ruas: superar os números de 2020. “Este ano, estamos abrindo em horário normal, diferentemente do ano passado, qaundo estávamos com o horário reduzido”, conta Carlos Henrique Barbosa, gerente da Centauro do Pátio Brasil, destacando que o cenário de superação é esperado principalmente por conta da vacinação contra a covid-19.


Pouco ânimo


Apesar do clima otimista, não são todos os comerciantes que estão animados com as vendas para a data. Clóvis Alberto Cesário, dono da loja de pijamas masculinos Chambre, na Asa Norte, afirma que a expectativa para o Dia dos Pais neste ano não é alta. “Se conseguirmos vender pelo menos 5% em comparação ao ano passado, na próxima semana, estarei satisfeito. Junho deste ano foi melhor do que junho de 2020, mas julho foi praticamente igual. Neste ano, vamos ter apenas uma semana (antes do Dia dos Pais), então o período de compras vai ser menor”, avalia Clóvis Alberto.


Mesmo com a pouca euforia, o lojista comenta que as vendas de 2020 do Dia dos Pais foram superiores às do ano anterior, mesmo com a pandemia da covid-19, que fechou o comércio e diminuiu o orçamento das famílias brasilienses. “Ficamos fechados por praticamente seis meses, mas acho que (as vendas foram melhores) por conta do meu segmento. As pessoas estavam mais em casa no ano passado, então comprar pijamas era uma boa pedida, e mais pijamas longos foram vendidos do que curtos”, lembra Clóvis, que aposta nas baixas temperaturas que o DF tem registrado para turbinar as vendas. “Mas, se esfriar ou não, o importante é a loja ser reconhecida pelo público de Brasília”, completa o dono.


Presentes


A estudante Ana Beatriz Macedo, 16 anos, ainda não sabe qual presente dará para o pai, Marcelo Macedo, 42. No entanto, a menina está animada com a possibilidade de reunir a família na data, ainda que em menor quantidade do que nos anos anteriores à pandemia da covid-19. “A gente costuma fazer almoço com meus avós, tios e primos, mas neste ano não vamos reunir todo mundo, só alguns. Ano passado, não pudemos nos encontrar com ninguém e fizemos só uma videochamada. Mas não é a mesma coisa”, conta a moradora do Guará.


Com a volta da reunião em família, Ana Beatriz terá uma pessoa a mais para presentear. Neste ano, para comemorar a união dos familiares, a estudante também dará uma lembrança ao avô, o aposentado Arnaldo Farias, 77. “Ela vai dar um presente para ele, mas eu ainda vou precisar dar o meu (presente). Então, na verdade, quem vai gastar duas vezes será eu”, diverte-se o pai de Ana Beatriz e filho de Arnaldo, Marcelo. “Mas vai ser muito bom reunir todo mundo de novo”, completa o empresário.

Promoções


Brasília Shopping • Compras acima de R$ 400 rendem um vinho Mancura Etnia Cabernet Sauvignon, até 10 de agosto. Os consumidores também podem participar do sorteio de 20 adegas, com espaço para 12 garrafas, a cada R$ 300 reais em mercadorias, também até 10 de agosto.


Pátio Brasil • Até 10 de agosto, serão sorteadas bicicletas Caloi MOAB. A cada R$ 150 em compras nas lojas do shopping, o cliente vai concorrer a uma das bikes. Aquisições feitas na loja Centauro do Pátio Brasil valem cupons em dobro.


Taguatinga Shopping • Até 17 de agosto, cada R$ 350 em compras valem um cupom para concorrer a três motos GS 310 BMW e dão, ainda, um kit de ferramentas.


JK Shopping • Até 15 de agosto, compras acima de R$ 200 dão uma caneca de chopp e uma cerveja artesanal Colorado. O valor também equivale a um cupom para concorrer a três cervejeiras com 60 cervejas Colorado Ribeirão.


Terraço Shopping • Até 8 de agosto, cada R$ 300 em compras valem umkit? MEN O Boticário, com três produtos.