Buscar

Distrito do Boche – Executivo reúne moradores para apresentar projeto pedágio social

A projeto consiste em isentar o pagamento de pedágio, quem comprovar residência permanente na localidade ou exercer atividade profissional no município


Fonte: Diário da Serra Notícias

28/07/2022


Foto: Diário da Serra


Há pouco mais de um ano a MT-358 está concessionada para a Via Brasil, responsável por administrar o trecho rodoviário que interliga o entroncamento da BR-163, na altura do município de Jangada, ao entroncamento com a BR-364, no distrito de Itanorte. São 233,2 quilômetros abrangendo as rodovias estaduais MT-246, MT-343 e MT-358, que dão acesso aos municípios de Jangada, Rosário Oeste, Nova Olímpia, Barra do Bugres e Tangará da Serra, até a divisa com Campo Novo do Parecis (Itanorte).


Pelos próximos 30 anos a companhia é responsável em zelar pelo trecho e, em contrapartida, cobrar pedágios dos usuários. Ao longo do trecho serão quatro praças de pedágio, sendo uma no alto da Serra dos Parecis, uma nas proximidades do distrito de São Joaquim (antes do trecho em declive da Serra de Tapirapuã) e duas entre Nova Olímpia/Barra do Bugres e a rodovia federal.


Assim, diante da proximidade do início da operacionalização por parte da Via Brasil, de acordo com contrato celebrado entre o Governo do Estado de Mato Grosso e concessionária, o Município de Tangará da Serra se reuniu nesta terça-feira, 26, com moradores do Distrito de São Joaquim e da Comunidade Nossa Senhora Aparecida para tratar do Pedágio Social.


Na reunião, realizada na Escola Estadual Antônio Hortolani, no Distrito, o prefeito Vander Masson e equipe conversaram sobre a possibilidade de conceder a isenção do pagamento de pedágio a quem comprovar residência permanente na localidade e exercer atividade profissional no município, assim como pessoas que precisam ir trabalhar naquela localidade.


“Basicamente o projeto, que ainda passará pela aprovação da Câmara de Vereadores, subsidiará os moradores daquele distrito e adjacentes, assim como as pessoas que precisam ir trabalhar naquela localidade”, explica a secretária Municipal de Assistência Social, Márcia Kiss.


“Claro que precisarão preencher um cadastro prévio, assim como comprovarem que passam por lá diariamente para fins específicos, no caso trabalho e acompanhamento contínuo de saúde. Desde que se enquadrem nas condicionalidades do projeto, sim, serão isentas”, completa.


Segundo a secretária, essa é uma preocupação antiga do prefeito, que começa a ganhar resolutividade. “O prefeito, desde a implantação do pedágio, tinha uma preocupação muito grande com toda a comunidade que será diretamente atingida pela cobrança dos pedágios (….) e essa reunião foi esclarecedora para os moradores daquela localidade”.