Buscar

Empresas apostam na gestão de frota sustentável

Com cada vez mais espaço para as práticas ESG, as empresas têm buscado deixar seus processos mais sustentáveis


Fonte: Jornal do Comércio

26/07/2022


Foto: ESALES/DIVULGAÇÃO/JC


Transporte é uma das atividades mais emissoras de carbono do mercado brasileiro — em 2020, foi responsável por 185,4 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera, segundo relatório do Observatório do Clima. Grande parte desse cenário se deve ao transporte de cargas, que se tornou indispensável durante a pandemia da Covid-19 e segue crescendo.


Muitas empresas estão cientes disso e trabalham ativamente para reduzir o impacto negativo que causam no meio ambiente. Associada à agenda ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança), que reúne critérios cada vez mais importantes para investidores, a gestão de frotas sustentável consolida-se a cada dia mais como uma tendência do setor logístico.


"O assunto sustentabilidade tem sido cada vez mais abordado nas empresas. A gestão dos negócios tem olhado para esse tema, traçando metas estratégicas para diminuir impacto ambiental, principalmente na cadeia de abastecimento e logística", destaca Mirane Lima, gerente de desenvolvimento de negócios da eSaless, empresa da cadeia logística e de negócios.


Contudo, o Brasil ainda tem um grande desafio para fazer essa mudança. "O último relatório publicado sobre o transporte de cargas no país já apontava que os caminhões emitem mais carbono que todo o setor de energia. É um número bem considerável, em média 39% do total das emissões. Só que o principal modal brasileiro é o rodoviário - o que mais polui e o que a gente mais necessita. A prioridade, então, é descarbonizar esses veículos", avalia Mirane.


Uma das empresas que encara esse desafio é a ReiterLog, que desenvolve soluções em transporte para negócios. Focada em logística verde, possui uma frota composta por 1.800 ativos próprios, dos quais 10% operam de forma sustentável — 124 veículos são 100% GNV (Gás Natural Veicular), oito são totalmente elétricos e 25 são híbridos.


"Acredito que se fala muito em sustentabilidade, mais do que se falava anteriormente, porque realmente é uma necessidade. Não é um modismo", diz a diretora comercial e ESG da ReiterLog, Vanessa Reiter Pilz.


A sustentabilidade na gestão de frotas, contudo, não precisa estar apenas no consumo de combustível. A Energisa, sexto maior grupo de distribuição de energia elétrica do País, apostou na digitalização para ter processos mais verdes. A gestora de frotas da empresa, Luine de Paula Freitas, mostra que existem soluções que unem a consciência ambiental com a eficiência logística.


A Heineken Brasil, gigante da produção de cervejas, também adotou o checklist digital para otimizar a rotina dos motoristas - semelhante à Energisa, a multinacional percebeu uma redução de 700 mil folhas utilizadas por ano.


Entretanto, para trazer a tecnologia à logística, é preciso que toda a frota entenda a sua importância para a sustentabilidade do negócio e, principalmente, como ela funciona. É muito importante trazer tecnologia para ser mais prático para o nosso negócio e nossos condutores, que estão na rua todos os dias", considera a gestora de frotas da Heineken Brasil, Ana Wolff.


Para ter um desenvolvimento sustentável do segmento de transportes, a mudança precisa ser coletiva. E mais: a tecnologia tem um papel importante nesse cenário, ao automatizar processos, levantar dados, bem como economizar e mitigar resíduos. Em esforço colaborativo, surgiu a Next Log, projeto que, liderado por uMov.me e eSales, promove o desenvolvimento e a eficiência do setor por meio de conteúdo, serviços e construção de comunidade.


"Atuar de forma colaborativa e aliada à tecnologia é a chave para desenvolvermos o setor de transportes com sustentabilidade. Até porque ser sustentável é justamente utilizar recursos de forma consciente e eficiente, gerando impacto positivo para o meio ambiente, as pessoas e também para o negócio", afirma o CEO da uMov.me, Alexandre Trevisan.