Buscar

Enel se compromete a investir R$ 663 milhões na zona rural goiana em 2022

Fonte: Notícias Agrícolas

18/03/2022


Fonte: Banco de Imagens / PIxabay

O secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Tiago Mendonça, recebeu o diretor de Operações de Infraestrutura e Redes da Enel Distribuição Goiás, José Luis Salas, nesta quarta-feira (16/3). Salas e um grupo de gestores das áreas de atendimento, operação, gestão, relação institucional e comunicação apresentaram um balanço das ações da concessionária em 2021 e o planejamento para 2022. O foco foi a zona rural. Também participou da reunião o superintendente de Engenharia Agrícola e Desenvolvimento Rural Sustentável da Seapa, José Ricardo Caixeta Ramos.


Desde janeiro de 2020, Seapa e Enel vem dialogando sobre a necessidade de melhorias na estrutura e no fornecimento de energia elétrica na zona rural do Estado. As constantes interrupções já provocaram prejuízos aos produtores rurais, originando reclamações e protestos. Após ouvir o setor, a Secretaria solicitou à empresa uma série de medidas, entre elas a criação de canais exclusivos de atendimento ao agropecuarista, maior agilidade no restabelecimento do serviço em caso de falhas e investimento na modernização das redes. A Enel respondeu com um plano de ações de curto, médio e longo prazos.


“O governo cobrou aquilo que foi necessário para atender de forma eficiente ao produtor, e segue cobrando. Os produtores de leite, por exemplo, enfrentaram o pior momento da sua história. Outras cadeias também tiveram prejuízos e continuam com dificuldades”, lembrou o secretário Tiago Mendonça. Ele ponderou, no entanto, que as redes de energia de Goiás são velhas e extensas, e ficaram muitos anos sem investimentos. “Com o aporte de recursos feito pela Enel, tivemos um alento. Avançamos”, reconheceu. Para Mendonça, é preciso seguir trabalhando para melhorar o serviço e suprir a demanda crescente do agro goiano.


Números


Ao fazerem um balanço das ações de 2021, os representantes da Enel citaram a realização de 28,4 mil correções de defeitos, 44,5 mil podas de árvores e 51 milhões de metros quadrados de limpezas de faixas, o que demandou investimento de R$ 38 milhões. A empresa aplicou R$ 141 milhões em estrutura e tecnologia, instalando 1.249 trip savers (equipamentos para religamento automático da energia) e 535 telecontroles. Também construiu 330 quilômetros de novas redes. Ainda de acordo com a Enel, 7.675 clientes rurais de 211 municípios foram conectados ao sistema, ao custo de R$ 360,1 milhões.


Para 2022, a Enel se compromete a investir R$ 663 milhões para melhoria da qualidade da rede e conexões nas áreas rurais do Estado. Além de manutenções e instalações de novos equipamentos, a empresa planeja construir 238 quilômetros de redes em 20 municípios e fazer 7,7 mil conexões em 230 municípios goianos. Prevê ainda a realização de 31 obras de construção e ampliação de subestações.


“Tivemos uma melhoria bem significativa em qualidade, aumento da capacidade e conexões rurais em 2021. Antes se faziam 500 conexões por ano. Apenas no ano passado foram mais de 7,6 mil”, argumentou o diretor de Operações de Infraestrutura e Redes da Enel Goiás, José Luis Salas. De acordo com ele, o plano da empresa para a zona rural goiana se divide em três pilares básicos: estabilizar a rede, flexibilizar a rede e ampliar a rede. “Os R$ 663 milhões que vamos investir este ano representam um acréscimo de 25% em relação ao que investimos ano passado na zona rural de Goiás. Temos muito por fazer ainda, mas a cada ano vamos fortalecendo uma rede que encontramos 100% sucateada”, ressaltou.


Além de Salas e da equipe da Seapa, participaram da reunião os gestores da Enel Goiás: Giselle Garcia (Comunicação), Roberto Vieira (Planejamento e Gestão), André Gustavo Rosa (Área Institucional), Roosevelt Cantanhede (Atendimento), Hugo Leandro (Atendimento Presencial) e Icaro Barros (Operação e Manutenção).