Buscar

Enquanto Brasil diminui produção de soja, Mato Grosso aumenta

Estado deve chegar próximo de 40 milhões de toneladas de soja produzida, enquanto Goiás vem em segundo com pouco mais de 16


Fonte: Minuto MT

13/06/2022



Foto: Divulgação/Minuto MT


Em Mato Grosso, a área cultivada em soja é de 10,90 milhões de hectares, superando em 4,1% a da safra anterior, de 10,47 mi/ha.


No Brasil, a área cultivada também expandiu, mas a produção de soja está em queda, enquanto Mato Grosso aumenta o volume produzido.


A informação é da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que a divulgou os números, nos últimos dias, por meio de um boletim de estimativa de safra.


Segundo a Conab, o Brasil cultivou 39,95 milhões de hectares (mi/ha) de soja na safra 2020/21, e na safra em curso, existe 40,98 mi/ha, com expansão de área de 4,6%.

Esse incremento, contudo, não se reverterá em mais grãos, em razão da queda na produtividade. No ano agrícola anterior, a média da produtividade nacional foi de 3.525 quilos de soja por hectare e, no atual, 3.032.


O documento da Conab aponta que a produção brasileira de soja terá redução global de 10,1%, devendo cair de 138,15 milhões de toneladas (mi/t) para 124,26 mi/t.

A produtividade da leguminosa mato-grossense, todavia, é aguardada em 3.735 quilos por hectare, um aumento de 7,2%, no comparativo com o ano agrícola anterior, que registrou 3.485 sacas por hectare.


A lavoura da soja está presente em praticamente todos os municípios de Mato Grosso, com destaque para Sorriso, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Diamantino, Nova Ubiratã, Nova Mutum, Campo Verde, Primavera do Leste, Lucas do Rio Verde, Campos de Júlio, Itiquira, Paranatinga, Parecis, Diamantino, Nova Ubiratã, Nova Mutum, Campo Verde, Primavera do Leste, Lucas do Rio Verde, Campos de Júlio, Itiquira, Paranatinga, Querência, Canarana, Brasnorte, Ipiranga do Norte, Tapurah, São Félix do Araguaia, Porto dos Gaúchos, Sinop, Gaúcha do Norte, Santa Rita do Trivelato e Alto Taquari.


A cadeia produtiva da soja é o carro-chefe da economia estadual e inclui indústrias de esmagamento e envasamento de óleo, com polos industriais em Sorriso, Sinop, Rondonópolis, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Primavera do Leste.


O complexo soja, que inclui a leguminosa in natura e o farelo de soja, é o principal item da pauta de exportação de Mato Grosso, e em razão desse volume de produção, a Rumo Logística opera em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), na Ferrovia Senador Vicente Vuolo, o maior terminal ferroviário de cargas agrícolas da América Latina, onde são embarcadas commodities para o porto de Santos


ESTADOS – Enquanto Mato Grosso deve chegar próximo de 40 milhões de toneladas de soja produzida, o segundo maior produtor estadual de soja é Goiás, com 16,03 mi/t.

Em ordem decrescente, Paraná, com 12,25 mi/t; Rio Grande do Sul, com 9,11 mi/t; e Mato Grosso do Sul, com 8,8 mi/t.