Buscar

Governo de Goiás diz que não vai cobrar ICMS sobre aumentos da Petrobras

Congelamento foi definido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e terá duração de três meses


Por Mais Goiás

01/11/2021


Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás


O Governo de Goiás informou, no início da tarde desta sexta-feira (29), que não vai cobrar ICMS sobre aumentos da Petrobras. Congelamento foi definido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e deve permanecer durante três meses. A medida entra em vigor na próxima segunda (1º).


O congelamento é válido para aumentos futuros da Petrobras. Na prática, o ICMS em Goiás será cobrado sobre o preço fixo do litro da gasolina comum, que é de R$ 6,5553; do óleo diesel – R$ 4,9876; gás de cozinha – R$ 8,0400 o kg e do etanol hidratado – R$ 4,7720, segundo informou o governador Ronaldo Caiado, nas redes sociais.


“Com a escalada dos preços dos combustíveis, o Governo de Goiás, que nunca aumentou o ICMS na atual gestão, decidiu que a alíquota não será cobrada sobre os consecutivos aumentos que a Petrobras tem feito. Congelamos qualquer cobrança sobre esses aumentos a partir de agora”, escreveu o chefe do Executivo estadual no Twitter.


Governo de Goiás diz que não vai cobrar ICMS sobre aumentos da Petrobras; Caiado pede apoio de postos de combustíveis e revendedores

No post, Caiado ainda pediu a colaboração de postos de combustíveis e revendedores. “É importante que os postos de combustíveis e revendedores façam sua parte, porque tudo que estiver acima desse preço deverá ser prestado contas à população. E não vamos admitir abusos. O cidadão não aguenta mais todo dia ter que arcar com esses aumentos”, disse.