Buscar

Infraestrutura pode render ao PIB brasileiro cerca de R$ 40,4 bilhões de investimentos até 2022

Por Click Petróleo e Gás

16/04/2021



Caso o investimento de R$ 28 bilhões previsto em infraestrutura for realizado, o PIB brasileiro pode receber R$ 40,4 bilhões do segmento


Segundo uma estimativa feita pela LCA Consultores, se caso os investimentos em infraestrutura forem realizados, poderá render R$ 40,4 bilhões ao PIB brasileiro. O estudo chamado “Raio X do setor de Infraestrutura” fez uma projeção em relação aos aportes públicos a serem realizados no setor de infraestrutura.


Segundo o estudo, que foi pedido pela Sinicon (Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada – Infraestrutura), se forem investidos R$ 28 bilhões em projetos de PPI – Programa de Parcerias de Investimentos, o rendimento ao PIB brasileiro pode passar de R$ 40 bilhões até o ano de 2022. Os segmentos de infraestrutura que se esperam receber os investimentos são: saneamento, logística e transporte. O “Raio X do setor de Infraestrutura”, ainda mostrou dados que a cada R$ 1 aplicado em infraestrutura, R$ 1,44 é revertido para a economia brasileira, mas precisamente no PIB.


Ministério da Infraestrutura deve investir R$ 1 bilhão na aviação


Para estimular a aviação regional, o Ministério da Infraestrutura (MInfra) investiu e vai investir cerca de R$ 1 bilhão entre 2019 e o final de 2021. Esses aportes serão utilizados em equipamentos de aviação, reforma e construção de novos aeroportos, que beneficiarão cerca de 112 cidades em todas as regiões do país. O objetivo é aumentar a conectividade e poder expandir os voos de todos os 27 estados do país.


O secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio disse que o governo federal está realizando uma grande transformação no setor de aviação, melhorando a infraestrutura, melhorando o ambiente de negócios e reduzindo a burocracia, e está tentando expandir esse modelo em a indústria da aviação.


A meta do governo federal é ter 200 cidades oferecendo voos regulares até 2025. Segundo dados da Administração Nacional de Aviação Civil (Anac), havia 128 aeroportos regulares no Brasil em 2019. A partir de 2020, a pandemia afetou a oferta de voos. Devido a restrições e redução da demanda, os serviços estão disponíveis atualmente em apenas 96 locais. Com a diminuição do tráfego de passageiros, o Ministério da Infraestrutura se esforça para agilizar a reforma e ampliação de diversos aeroportos.