Buscar

Jurídico sem juridiquês: Escassez de água: de quem é a responsabilidade?

Por Roberto Hidasi

15/07/2021


Jurídico sem juridiquês, uma coluna semanal

Por Roberto Hidasi, advogado ambiental e jurista



A crise hídrica é a escassez de água para abastecimento humano nas cidades. E a falta do recurso natural obrigará os governos a pensarem em políticas públicas para garantir o abastecimento nas cidades.


A preocupação nos convoca para redobrar a atenção com o uso de água e sua distribuição no campo, para que o abastecimento não seja interrompido. O setor precisa ser observado pelos estados e municípios e medidas devem ser tomadas, por exemplo, para não causar o encarecimento dos alimentos e da taxa de energia.


Muitas lavouras, por exemplo, já começaram a enfrentar esses impactos, como é o caso da laranja e do café. Outras, como o feijão, algodão e a pecuária de leite e de corte.


É preciso discutir métodos de irrigação e ampliar a utilização de energia fotovoltaica. Defendo, sobretudo, uma educação ambiental nos municípios — que é deficitária — para o uso consciente da água e energia justamente para otimizar as produção agrícola e a vida econômica das cidades.


A gestão dos recursos hídricos é uma responsabilidade coletiva, que envolve todos os setores da sociedade. Os governos e sociedade civil precisam criar meios de amenizar os impactos da falta de água no setor produtivo e a alta no preço dos alimentos. É preciso planejar soluções de irrigação para agricultores e sociedade para práticas de sustentabilidade, minimizando os impactos causados pela escassez de água.