Buscar

Preços dos combustíveis aumentam em MT após governo voltar a cobrar impostos

Isenção vigorou por dois meses e foi anunciada pelo governo como medida para tentar segurar o avanço no preço do combustível e para diminuir as pressões de caminhoneiros


Por G1 MT

14/05/2021



Os preços dos combustíveis tiveram um novo reajuste, em Mato Grosso, após o fim da isenção de PIS/Cofins, no dia 1º deste mês. A isenção vigorou por dois meses e foi anunciada pelo governo como medida para tentar segurar o avanço no preço do combustível e para diminuir a pressão dos caminhoneiros.


De acordo com o Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado de Mato Grosso (Sindalcool-MT), na semana passada, o preço do etanol no estado foi praticado nas produtoras com um aumento de R$ 0,13.

“Mesmo assim, Mato Grosso continua sendo o estado com o preço do etanol mais competitivo frente aos outros estados, perdendo apenas para São Paulo”, disse o diretor executivo do sindicato, Jorge dos Santos.

Além do PIS/Cofins, o Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Prestação de Serviços (ICMS) também teve aumento.

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveisde Mato Grosso (Sindipetróleo), a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz-MT) reajustou o preço de pauta, que é a base de cálculo para cobrança deste imposto, em R$ 0,25 para o diesel e R$ 0,13 para a gasolina.


O sindicato explicou ainda que até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biodiesel, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos postos revendedores de combustíveis.


Apesar da redução dos preços a partir deste sábado, os combustíveis acumulam forte aumento no ano. Na parcial de 2021, a gasolina subiu mais de 40% nas refinarias, já o diesel aumentou em torno de 34%. Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$1,84 e o do diesel saía a R$2,02.