Buscar

Confiança industrial em Goiás é a mais alta nos últimos dez anos, diz Fieg

Ambiente favorável para industrialização se destaca, ainda que existam as restrições causadas pela pandemia


Por DM.COM.BR

23/08/2021



A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) divulgou, nesta quinta-feira (19/08), números atualizados do Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) em Goiás. Com incremento de 4,2 pontos frente a igual período do ano passado, o indicador bateu 64,7 pontos em agosto. Esse é o melhor resultado do índice desde março/2011. Na comparação com o mês anterior (julho/21), o aumento foi de 1,6 ponto.


O Icei é composto pelos indicadores de Condições, que mede o momento atual do ambiente de negócios comparado com os últimos seis meses, e de Expectativas, que avalia as perspectivas para o próximo semestre. Em ambos os índices, foram registrados aumentos.


O Indicador de Condições foi o que mais contribuiu com o aumento do Icei em agosto, com crescimento de 2,3 pontos da confiança frente ao mês anterior e 6,6 pontos na comparação com agosto do ano passado. Com isso, o indicador chegou a 57,4 pontos, melhor resultado desde dezembro/20.


“O resultado confirma que, no âmbito da economia, o pior da pandemia ficou para trás. Agora é avançarmos nas agendas relevantes para a retomada do crescimento”, avaliou o presidente da Fieg, Sandro Mabel, ao reiterar a importância das reformas administrativa e tributária.


Segundo componente do Icei, o Indicador de Expectativas alcançou 68,3 pontos em agosto, registrando incremento de 1,2 ponto frente a julho/21 e 3,0 pontos na comparação com igual período do ano passado. “Esse é o quarto mês consecutivo em que o indicador fica acima dos 60 pontos, o que mostra empresários confiantes numa melhora no cenário econômico no curto prazo”, explica a assessora econômica da Fieg, Januária Guedes.


A confiança industrial em Goiás é mais disseminada entre as pequenas empresas (66,8 pontos), que registraram aumento de 3,7 pontos em agosto na comparação com igual período de 2020. As médias e grandes empresas também registraram incremento do indicador, alcançando 64,0 pontos e 63,9 pontos, respectivamente.


Conforme metodologia da pesquisa, o Icei varia de 0 a 100 pontos e valores acima de 50 revelam empresários confiantes.