top of page
Buscar

Norte de Goiás tem 4,6 milhões de hectares com potencial para agropecuária

“Impulsionar o desenvolvimento da Região Norte foi uma missão dada pelo governador Ronaldo Caiado, e nós queremos acelerar este processo”, afirmou secretário Tiago Mendonça


Por Agência Cora Coralina de Notícias

08/12/2021


Foto: Seapa


Empreendedores rurais, investidores, executivos de bancos e empresas privadas, secretários estaduais, presidentes de entidades, gestores e técnicos participaram nesta segunda-feira (6) da reunião especial da Câmara Temática de Estratégia, Competitividade e Políticas Públicas do Agronegócio do Estado de Goiás – O Agro é de Todos. O evento marcou a divulgação do estudo de inteligência de mercado que identificou 4,6 milhões de hectares com potencial para agropecuária sustentável no Norte Goiano, sem necessidade de abertura de novas áreas de Cerrado. A análise é da Superintendência de Produção Rural Sustentável da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), em parceria com o Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag).


O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça, abriu o encontro destacando que ali começava um grande projeto baseado na união de forças. “Impulsionar o desenvolvimento da Região Norte foi uma missão dada pelo governador Ronaldo Caiado, e nós queremos acelerar este processo”, discursou. Mendonça lembrou que, além da bovinocultura e da produção de grãos, a região tem alto potencial para fruticultura e piscicultura. “Com 4,6 milhões de hectares, é como se tivéssemos outro Estado de Goiás para produzir”, afirmou.


Para o deputado federal José Mário Schreiner, o desenvolvimento da Região Norte de Goiás nunca foi discutido como deveria, e isso começou a mudar. “Esta é das ações mais importantes que vi nos últimos tempos”, resumiu. Ele se colocou à disposição para ajudar no que for preciso em nível federal. “Se todos dermos as mãos, vai acontecer”, sentenciou Schreiner, que é presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg). O Sistema Faeg Senar é um dos parceiros do Governo de Goiás na iniciativa.


Na mesma linha, o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Goiás), Dirceu Borges, reforçou a importância das parcerias para o desenvolvimento da produção agropecuária em Goiás e no Brasil. “O Senar entra com capacitação e assistência técnica para somar esforços”, garantiu.


Já o superintendente de Produção Rural Sustentável da Seapa, Donalvam Maia, explicou como o levantamento de dados foi feito, de forma a balizar políticas públicas e investimentos privados, e ressaltou o trabalho de inteligência de mercado desenvolvido pela secretaria, em parceria com o Ifag. “Fruto deste trabalho, identificamos uma área de 900 mil hectares com potencial para produção de grãos”, citou.


Grande Norte Goiano


O território que foi alvo da pesquisa abrange 89 municípios no Noroeste, Norte e Nordeste de Goiás. Entre outros dados, o levantamento identificou que esta grande região tem relevo predominantemente plano a suave ondulado e precipitação média anual superior a 1.100mm, ou seja, condições favoráveis ao desenvolvimento da agricultura e da pecuária modernas. A rede de infraestrutura conta com Ferrovia Norte-Sul, BR-153 e aproximadamente 30 mil quilômetros de estradas federais, estaduais e municipais.


Presidente da Agência Goiana de Infraestrutura (Goinfra), Pedro Sales salientou que grande parte dos investimentos do órgão tem sido direcionados para as regiões Norte e Nordeste do Estado por determinação do governador Ronaldo Caiado. Ele detalhou os desafios enfrentando pela pasta e acrescentou: “Já reconstruímos 1,8 mil quilômetros em todo o Estado em 2021, fato inédito em Goiás”. A Goinfra prevê investir R$ 1,5 bilhão em infraestrutura rodoviária no Grande Norte Goiano até 2022. Outros R$ 35,5 milhões estão sendo alocados para construção e manutenção de pontes por meio de parcerias entre órgãos públicos e privados.


Um dos empreendedores presentes ao evento foi o Fabrício Mitre, do Grupo Mitre, que tem investimentos em agropecuária no Vale do Araguaia. “Esta região vem se provando como área de agricultura, apesar da escassez de chuvas durante parte do ano”, enalteceu. A solução para o problema, segundo ele, é a irrigação, que pode ser feita a partir da construção de barragens e preservação de água. “Com irrigação é possível transformar uma área de pastagem degradada e produzir três vezes mais que em área não irrigada”, argumentou. O empreendedor citou as estradas, a rede elétrica e o arcabouço legal sobre outorgas de uso de água e licenciamento de barragens como os principais gargalos para o desenvolvimento agropecuário na região. Sobre o assunto, Mitre pediu um debate aberto que inclua os órgãos ambientais.


Além de Seapa, Goinfra, Faeg, Senar e Grupo Mitre, participaram da reunião titulares e representantes da Secretaria-Geral da Governadoria (Adriano Rocha Lima), Secretaria da Retomada (Raíssa Rodrigues), Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural, e Pesquisa Agropecuária (Pedro Leonardo), Enel Goiás (Jose Luis Salas), Ifag (Alexandro Alves), Global Farm, Grupo Perboni, Produtiva Sementes, Olfar Alimento e Energia, Banco do Brasil, BTG Pactual e outras empresas e entidades que integram a Câmara Temática O Agro é de Todos.


Saiba mais


A Câmara Temática de Estratégia, Competitividade e Políticas Públicas do Agronegócio do Estado de Goiás – O Agro é de Todos foi criada pelo governador Ronaldo Caiado em 29 de março de 2019. É composta por representantes de mais de 40 entidades do setor em Goiás, entre órgãos públicos, associações, sindicatos e instituições de ensino e pesquisa. O grupo atua como um “conselho consultivo do agro”, discutindo demandas e apresentando propostas para nortear políticas públicas que ajudem a desenvolver e fortalecer o setor no Estado.

bottom of page