Buscar

Retrato do abandono, BR-010 esconde perigo nas ladeiras do Bigode e do Zé Andorinha no Tocantins

Acidentes têm sido frequentes por causa da precariedade da rodovia


Por AF Notícias

08/12/2021


Foto: Sindicanto/Divulgação


O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros do Estado do Tocantins (Sindicanto), José Aparecido do Nascimento, cobrou urgência na conclusão das obras da BR-010 no Estado, visto a recorrência de tombamentos e acidentes registrados em trechos da rodovia.


Ele cita como exemplo acidentes frequentes nos pontos conhecidos como 'Ladeira do Bigode' e 'Ladeira do Zé Andorinha', em Rio Sono, e diversos locais de Itacajá e outras regiões.


"Tem sido vários acidentes devido à precariedade de diversos pontos da estrada, mesmo que hoje tenha uma manutenção promovida pelo Dnit, enquanto estiver em estrada de chão a situação é incompatível para o transporte de carga que a região exige”, esclarece José Aparecido.


Aparecido reclama também da demora do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para refazer a ponte da Barrinha também em Rio Sono, considerando que a mesma está interditada há meses para a travessia de caminhões pesados.


Federalização de rodovias


O líder sindical espera que as autoridades do transporte e da infraestrutura viabilizem a conclusão da BR-010, bem como a federalização dos trechos da TO-020 e TO-050, incluindo-os no traçado da mesma BR-010.


Ele lembra que em novembro de 2017 foi aprovada a Lei 3.285, na Assembleia do Tocantins, autorizando o Governo estadual a transferir trechos da TO-020 e to-050 para o poder federal, mas até o momento a lei não foi cumprida.

“Os trechos das rodovias entre Porto Nacional e Silvanópolis e de Palmas a Aparecida do Rio Negro vivem em estado de calamidade e o governo estadual não os federalizam, o que iria trazer melhorias aos citados segmentos”, prevê Aparecido.


Na opinião do sindicalista, a não federalização e a falta da conclusão do BR-010 geram prejuízos econômicos e sociais incalculáveis e castigo para caminhoneiros e usuários da estrada.


“A categoria vem sofrendo muito e a precariedade da rodovia, é ruim para a região, para o Estado e para o Brasil. Se os políticos têm interesse de ver a coisa andar, progredir, então têm que olhar para esta situação”, apontou o presidente.


“Como bem esclarece o Movimento Pró-BR-010, do qual nosso sindicato é parceiro, a referida rodovia é urgente, pois vai trazer o progresso econômico e social para a região, que tenta se desenvolver, mas esbarra na falta de infraestrutura de transporte”, pontuou o sindicalista.


Aparecido demonstrou-se surpreso por essa obra, segundo ele tão fundamental ainda se encontrar paralisada. “A margem esquerda do Rio Tocantins se desenvolveu em função da BR-153, sendo que o lado direito encontra-se atrasado, dependendo muito dessa rodovia que não se sabe por que não é concluída”, avaliou.


José Aparecido finaliza dizendo que os caminhoneiros são uma das categorias que mais ajudam o progresso da nação, “ao transportar suas riquezas”, mas é pouco reconhecida e ainda penalizada, em função das estradas ruins, pedágios e combustíveis caros e custo altos das manutenções de seus veículos.