Buscar

Turismo no DF cresce com retomada gradual da economia

Em entrevista ao programa CB.Poder, a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, explica sobre a retomada do setor no Distrito Federal e comenta novidades do ramo na capital federal


Por Correio Braziliense

08/07/2021



Para impulsionar o turismo na capital federal, a secretaria de turismo criou uma série de ações com o objetivo de fomentar a cadeia produtiva do setor. Em entrevista ao CB.Poder — parceria do Correio com a TV Brasília —, nesta quarta-feira (7/7), a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, ressaltou que, apesar das dificuldades advindas da pandemia, a volta da economia local ajudou no retorno das atividades do setor. “O turismo tem uma força e potência que, no primeiro movimento de retomada gradua,l é o primeiro setor que sai na frente”, ressaltou a representante da pasta.


De acordo com a secretária, a retomada do setor foi possível, principalmente, graças às linhas de crédito criadas. "Brasília, em relação a recurso para a iniciativa privada nas mais diversas categorias, saiu na frente de vários estados”, pontua. Dentre as novidades do turismo na capital que tem aquecido o setor, estão a estreia da nova companhia aérea brasileira, Itapemirim Transportes Aéreos e a alíquota de 2% para o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). “São medidas que fazem a diferença e que demonstram que é um governo que está atuando de forma efetiva. Não é promessa, não é fala, é muito trabalho”, garantiu.


Dentre as linhas de financiamento especiais destinadas ao setor turístico está o Fundo Geral de Turismo (Fungetur), que o Banco de Brasília (BRB) disponibiliza como recurso para conceder financiamento especial ao setor. No fim do ano passado, o banco recebeu aporte de R$ 521 milhões e o credenciamento junto ao Ministério de Turismo. “Também foi uma conquista histórica para Brasília. Foi a primeira vez que conseguimos nos inscrever. E isso se dá em decorrência de resultados econômicos, financeiros, do banco e do governo”, garantiu Vanessa.


A partir da Fungetur, a secretária explicou que Regiões Administrativas (RAs) do DF têm conseguido impulsionar e fomentar o turismo local. “Nós estamos trabalhando e levando aos empresários de todos os segmentos e de cada uma das nossas RAs, essa linha de crédito, explicando, levando e visitando as propriedades. É aí onde entra o turismo rural e todo esse eixo que se construiu de uma maneira fantástica e que mostra que Brasília é muito mais do que as pessoas imaginam e, que de fato, temos de tudo aqui”, pontua a secretária.


Regiões Administrativas


Uma das medidas que a pasta adotou para impulsionar a retomada do turismo na capital foi o cuidado com as RAs. Vanessa explica que foi feito um projeto integrado da secretaria com os administradores para ampliação das rotas turísticas nas regiões, através do programa Turismo e Ação. “Visitamos os empreendimentos do setor de turismo, que são dos mais variados. Muitas vezes é um pesque e pague que tem um potencial para se transformar em hospedagem. Vamos até lá, com a equipe do Banco de Brasília conosco para explicar o Fornatur, qualificamos o artesão dali, entregamos a carteira do artesanato, e lançamos, por exemplo, Brazlândia na rota do turismo, assim como Ceilândia, Guará, e Gama”, explica.


Após os estudos em cada RA, a equipe da pasta relaciona os pontos com os mais variados segmentos. “Então nós temos o turismo religioso, o agroturismo, o turismo de contemplação, o gastronômico que é essencial e é uma realidade em todas elas”, diz. Com a iniciativa, é possível encontrar novos locais turísticos na capital. “Após um trabalho com todas essas, olhamos para Riacho Fundo, ou Planaltina, por exemplo, com um novo olhar. Eu costumo usar muito essa frase, porque é um novo olhar do turismo. A cidade não mudou, mudou nosso olhar, nosso carinho, atuação”, garante.